Quando a agitação deixa de ser saudável? 🤔

 

Seu filho sempre foi muito agitado, mas você achou que era coisa de criança? Você estranha que uma criança tão criativa e inteligente tenha um desempenho baixo na escola? Já brigou com ele dizendo que tem que prestar atenção nas aulas e se esforçar mais? Ele não lembra onde coloca as próprias coisas? E começou a entrar em brigas no colégio?

 A verdade é que várias dessas coisas podem, sim, ser traços de personalidade ou temperamento. Mas também podem ser sintomas do transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, mais conhecido como TDAH.

É importante observar com cuidado, já que o distúrbio se manifesta de diferentes maneiras e intensidades. Alguns dos portadores têm extrema dificuldade em permanecer em silêncio ou parados, por exemplo, mas não todos. Então, é possível que não os veja descritos no parágrafo anterior, e ainda assim eles tenham a síndrome.

Não se trata de uma condição incomum, porém ela pode trazer muitos impactos negativos para a vida acadêmica, profissional e até social de quem a possui. Infelizmente, em vários casos, a autoestima é bastante abalada e há o risco do desenvolvimento simultâneo de ansiedade, depressão ou outros distúrbios.

Por isso, aos pais ou responsáveis, cabe o não julgamento. Compreender que não é frescura, má vontade ou falta de educação, e procurar por um especialista que possa fazer o diagnóstico e acompanhar corretamente são alternativas para uma educação mais focada na criança e adolescente.

Se você acredita que seu filho se encaixa em algum desses perfis abaixo, procure conversar com um pedagogo ou psicólogo:

-          Tem dificuldade de terminar o que se propõe a fazer;
-          Tem “dúvidas bobas”, principalmente no ambiente escolar;
-          Sente-se muito irritado e com dificuldades de moderar algumas ações;
-          Perde coisas facilmente;
-          Parece desleixado com seus pertences;
-          Não se concentra nas tarefas domésticas.

                Muitas vezes, no intuito de educar, acabamos diminuindo nossos filhos ao invés de diminuir os problemas que eles possam estar enfrentando. Se você quer conhecer um pouco mais a respeito desse assunto, indicamos o conteúdo da Associação Brasileira do Déficit de Atenção, que explica em detalhes o transtorno e como lidar com isso no dia a dia. Conheça-o, e caso queira conversar a respeito, mande seu comentário para a TeraPlay. 




Você já conhece a TeraPlay e suas soluções inovadoras que buscam promover educação emocional, comunicação e regulação sensorial? 


Comentários

Postagens mais visitadas